20 abril 2016

Tudo é vida, sofre alterações e mudanças


DO CONHECIMENTO CIENTÍFICO

Esta imagem esquematiza  de um modo claro os fenómenos que existem na Terra e que demonstram de modo inequívoco, que esta esfera achatada nos pólos, não é uma simples bolinha onde o mar e os continentes se mantêm completando o planeta, e vão seguindo, quedos, sem revoluções próprias, a volta diária sobre o seu eixo (movimento de rotação) e o movimento com uma forma mais ou menos elíptica em volta do Sol (movimento de translação).




Estes três esquemas explicam o Terramoto ocorrido no sábado passado no Equador e que provocou mais de 500 mortos e mais de 4.000 feridos. Cidades e infraestruturas destruídas, prejuízos incalculáveis num pequeno país a noroeste do continente Sul Americano. dado não ser especialista nestes assuntos demasiado complexo e que exigem muitos conhecimentos em várias áreas do saber, vou tentar de um modo simples explicar o que ocorreu e as imagens demonstram;

Exactamente como percorrendo o litoral do continente americano encontra-se uma das zonas do globo terrestre mais dado a fenómenos sísmicos. Aí, se confrontam duas grandes placas. No caso concreto do Equador o fenómeno acaba por se explicar de um modo relativamente simples. A Placa de Nazca que está submersa no Oceano Pacífico mantêm-se em constante fricção com a placa continental ou Placa Sul Americana. As placas estão encostadas uma na outra.

No Equador o que se passou foi que as marés terrestres e oceânicas vão dar origem a uma diminuição da fricção habitual entre as placas, provocando um aumento da massa que compõe a Placa de Nazca.

Uma parte expressiva da massa da Placa oceânica de Nazca funde-se e vai meter-se por debaixo da placa continental Sul Americana. Daí vai resultar uma libertação repentina de energia pelo desbloqueio que se verificou em resultado das matérias fundidas sob a placa continental.


A terra que já foi em tempos (milhões de anos) um só continente denominado pelos cientistas de PANGEA, foi ao longo dos tempos submetidas a milhares de fenómenos que lhe produziram enormes transformações. E esse movimento, que naturalmente, em condições normais leva milhares ou milhões de anos não deixou de verificar-se. Na nossa terra existem várias zonas em que as placas se encostam. Na realidade elas estão em tensão permanente, e quando ocorre algum fenómeno resultante do contacto entre elas, podem revelar-se sismos, terramotos, tsunamis, etc...

Até aqui abordei este tema numa perspectiva de um homem de ciência, isto é, limitei-me a transcrever o melhor que posso e sei, o que li e fui estudar sobre estas realidades que sempre trazem à humanidade grandes desgraças e prejuízos. 



DA ESPECULAÇÃO E PROFECIAS


Em seguida, e sem querer sobressaltar os poucos visitantes do meu blogue e que se dão à maçada de ler as minhas divagações, quero chamar a atenção para alguns factos:


  • O número de sismos e de terramotos de larga potência têm aumentado
  • A terra tem sido assolada por diversos tipos de catástrofes
  • Existem fenómenos climáticos que acabaram por alterar por completo climas em muitas regiões do globo
  • As secas são mais frequentes e a falta de água e de alimentos para virá a ser um drama para a humanidade

Creio que ninguém, baseado no conhecimento cientifico, pode explicar com fundamentos aceites pela comunidade dos homens da ciência, todos estes fenómenos cada vez mais frequentes e cada vez mais devastadores. Eu, sou um homem simples, curioso pelo mundo que me envolve mas sem conhecimentos para me atrever a procurar sequer uma resposta para todos estes factos que o mundo de um modo trágico vem conhecendo.

Uma coisa descobri eu nas minhas demandas, e narrar o que li pode levar a que muita gente me venha a considerar como tendo perdido por completo o juízo. Mas deixo aos que se interessarem, para que possam com as imensas ferramentas hoje dispostas aos que procuram dados sobre o que quer que seja, reflectir. O saber não ocupa lugar. E se conhecermos mais teorias melhor podemos escolher a que acolhemos. O que vou narrar não é uma notícia boa para a humanidade. Eu limito-me a narrar o que encontrei e cada um tirará as suas conclusões:

S. Malaquias (suponho que no séc. XIII) escreveu uma lista com frases em latim identificando os Papas no futuro da Igreja. Terminou sua narrativa precisamente no Papa 112, que curiosamente é O Sumo Pontífice do nosso tempo, o Papa Francisco. E previu que o mundo terminaria nesse pontificado. A terra iria sofrer inúmeras pragas, epidemias e fenómenos como os climáticos, sismos e terramotos.



Nostradamus considerado o maior profeta da história dos homens previu um fim do mundo também em que a terra sofreria de imensos cataclismos.



E existem outros homens, outros nomes que defendem claramente o mesmo fim para o nosso Planeta.





Nas profecias, o último Papa vai "reinar" pouco tempo. Curiosamente o Papa Francisco já disse que sabe que não vai durar muitos anos. Coincidências?








E alguém sabe explicar porque a Igreja tem nos Estados Unidos um Centro Astronómico com equipamentos da melhor qualidade que existe ao cimo da terra, e ali mantêm a trabalhar, astrónomos, físicos, matemáticos e outros homens de ciência?








Eu, depois desta exposição em que ponho em confronto a ciência tal qual se sabe e se conhece, apresentada por técnicos e estudiosos de renome, atrevi-me a colocar alguns tópicos, não comprovados, podem ser pura especulação e não possuir uma ponta de verdade, mas são profecias, são exposições que hoje tomam força. Que o mundo não nada bem, todos conhecemos essa realidade, nem em termos físicos, geográficos e em demais áreas ligadas ao mundo que habitamos. E que o próprio homem vive numa crise de valores e numa confusão imensa também parece incontestável. Fica ao critério de cada um. Eu fiz um trabalho com ou sem demérito, mas procurei abordar o que se passa confrontando teorias, procurando que as pessoas se debrucem e possam reflectir, sendo certo, que dificilmente se encontrará uma verdade única e universal. Boa reflexão.

Pedro


Sem comentários: