20 fevereiro 2012

Hoje, como em tantos outros dias...





Muitas vezes tudo aquilo que o nosso coração sente, torna-se, de tão profundamente intenso e grande, dificil de expressar.

A caneta que temos na mão, teima em ficar à espera, suspensa de movimentos, vazia de ideias, enquanto uma amálgama tumultuosa de sensações, se baralham, misturam, atropelam, num desnorte sem qualquer sentido, e tal, que nada sai.

Muitas vezes, confesso, desespero, procurando expressar de um modo elegante e certo, tudo aquilo que me vai na alma, e fazer obra, já que o que tenho dentro de mim é muito belo, sempre, porque tu estás aí. Aqui. Dentro de mim.

Mas, como é óbvio, muito mais que um criativo poeta, ou aceitável escritor de novela, sou apenas um sonhador destemperado, que vive em sobressalto, enamorado, aprisionado de sonhos e delírios, tantos e tão fantasiosamente bonitos que adoro descrever.

Gosto de utilizar as palavras, procurá-las, e fazer com elas o que um compositor realiza com as suas notas musicais, isto é, concretizar algo onde esteja beleza e porque não dizê-lo, um pouco de magia e encanto. Um realiza a música que nos vai dar alento e alegria à alma, eu, humildemente, tengo construir alguma coisa, com cada palavra, que possa servir, o que sinto em mim, e que é maravilhosamente belo, realizando assim, uma composição que seja harmoniosa e seja bonita.

Pode ser tudo isso, ousadia, ou vã vaidade, mas, um coração permanentemente enamorado, esquece as agruras da vida, o cinzentismo balofo do mundo, a mesqueinhez humana, e parece perceber apenas, a beleza de um dia de sol, a maravilha da natureza, os valores singelos da amizade, ou a fantasia inimaginável e bela de um amor feliz.

Hoje, como em outros tantos dias, olhando para dentro de mim, e vendo o mundo e a vida, percebo que é maravilhoso estar enamorado. Hoje e sempre, até ao fim do mundo, quando desfruta intensamente de um acordar alegre em cada manhã, quando te recordo e lembro que existes, e de passar o dia tranquilo e feliz, te imaginando, e por fim, quando descanso à noite no meu leito, quentinho e satisfeito, por te sentir a meu lado.

Hoje, como em tantos outros dias, procuro as palavras, para dizer baixinho a mim mesmo que sou feliz, que te tenho, que mesmo que existas apenas num dos inúmeros mundos por descobrir, me dás em cada instante a magia de um sonho belo, e a luz de um sol doirado, brilhante, que me aparece em cada dia deste inverno.

Hoje, como em outros dias, estou bem, porque estou contigo. Te quero e te amo. Te sinto. Me dás energia e me fazes acreditar na felicidade grandiosa de ter a meu lado, num qualquer lugar do universo, alguém. Sei que existes. Sinto-te. Estás em algum lugar. És minha como eu sou teu.

Hoje, como em tantos outros dias, como te tenho, sou feliz.







Sem comentários: