24 fevereiro 2010

Ontem falei com as estrelas do céu



À noite,
Ontem,
Olhei o céu
Numa imensidão imensa
De legiões negras polvilhadas de luz,
De milhentos pontinhos brilhantes
Salpicando de magia
Um negrume sem fim.

Ontem,
Pela noitinha,
Procurando a fantasia
De tantas luzinhas tímidas,
Soltas, minúsculas, vogando
Sobre todos nós,
Descobri, bem por cima de mim
Dois pontos fantásticos
Enigmaticamente explodindo
Faiscando, intensos, enérgicos
E quedei-me ali,
Surpreso, aprisionado,
Olhos nesse mapa salpicado de luz
Sem noção do que quer que exista
Ou seja, nem do tempo, nem do espaço,
Simplesmente fascinado
E prisioneiro,
A olhar,
Aprisionado mesmo,
Pelas projecções de luz
Pela dança dos dois raios
Que lá do alto
Directos a mim
Me transformaram em estátua
Só, ali, sem agitações nem medos
Entregue, solicito, ser dado,
Olhando,
Sempre,
Naquele alto sem margens
Os dois pontos de encanto
E brigas de luz
No céu sem fim.

Ontem à noite,
Apercebi-me, por fim,
Que aquelas estrelas luminosas
Que tudo e nada parecem
Não sendo comparáveis com coisa alguma
Com um brilhozito sem igual
E onde todas as cores se revelam
(Existe ínsito, aí,
Nessa amálgama de fascínio
Amor,
Promessas,
Sonhos intermináveis),
Mais não eram, as estrelinhas,
Que a projecção dulcíssima
E linda do teu olhar,
E esses olhos me fascinando,
Me tocando quase,
Me transportaram, voando,
Ao outro lado do mar,
Do mundo,
Do que realmente existente
E do que não existe,
E, me aproximaram de ti.

Ontem,
Noite dentro,
Estivemos nos olhando,
Olhos nos olhos,
Eu e tu,
Falámos de amor,
De um dia,
De nós.

Pela noite fora
No céu estrelado de ontem
Estivemos juntos,
Lado a lado,
Imóveis, nos entregando,
E conversámos, e nos tocámos,
E prometemos,
Entre mil candeias acesas
Suspensas na quimera de um mundo
Que decidimos tomar os dois,
Um amor sem fim.

Ontem
Os teus olhos foram meus
E os meus, inquietos, loucos mesmo,
Se entregaram, felizes, a ti,
Na magia da noite,
À luz das estrelas,
No sonho,
Na luz do teu olhar,
Ontem...

1 comentário:

Sanny disse...

Ontem, só ontem, eu obsevei que no ceu há estrelas e que elas também me encantam...
Adorei, parabéns está lindo esse poema.
Beijos no coração!!!