Nº de visitantes por País

free counters

19 abril 2009

As letras que escrevo…



As letras que escrevo…

As salpicadas letras em folhas de papel,
Ordenadas, em escuras e infinitas fileiras
Que se sucedem passo ao lado, linha abaixo,
São palavras, semeadas entre silenciosos espaços,
De múltiplos tamanhos, sem qualquer jeito,
Formam sentidos gritos, alertas, protestos
Às vezes quiméricos desejos e sonhos sem fim
Outras, sem tino, olham sem ver, vazias,
As vidas intrincadas que pululam lá fora
Espreitando escondidos temores e paixões
Que se ocultam na inquietação do estar
Titubeando um caminho incerto, na procura
Entre os demais, do inacessível que não vislumbro
Nem encontro dentro de mim



As letras atabalhoadas formam legiões
Partem em todas as direcções com música
Inquietos tambores ressoam, a compasso
Com a escuridão na alma, à cadência martelada
De uma aventura sem qualquer regresso
São fantásticas guerreiras em guerra santa
Perdidas por ideais que não podem conhecer
Lutando, destemidamente, no campo de batalha
Como se de imortais de tratassem





São letras simplesmente, caídas sem fé,
São amarguras alinhadas em faltas de tudo,
Até de amor, até de paz, até de existir,
São esgares de raiva e dor, que aqui deixo
Parecidas às ondas do mar, cheias de força
Nunca se quedando, indo e voltando
Muitas vezes suaves, teimando nas carícias
Ora potentes, avassaladoras, destruindo





As letras que projecto em painéis
De espuma, de ventos, ou mesmo de luz,
Não são afinal mais, que a imagem projectada
Num só instante, de explosão,
De suores negros, ou desejos azuis
De uma dilacerada exigência interior
Que não consegue reprimir a ideia carrasca
Nem esconder-se nos tumulares silêncios
De um medo secular, de impossíveis
Da impossibilidade de um dia chegar
Ao porto tranquilo a todos prometido
Ou, não sendo previsível esse aportar
Que sejam, as letras, um caminho, esperança
Um sopro de luz saindo da borrasca
Um crer… Que sejam apenas
O que simplesmente já são
… letras!














3 comentários:

Liliana G. disse...

Las letras se hacen magia en tus manos y tus deseos, esperanzas. La luz del sol alumbra tus versos y los eleva al mejor de los cielos, al cielo del poeta.
¡Bellísimo, Pedro!
Un gran abrazo, amigo.

mariam disse...

Pedro,

Belíssimo este post! e os outros, não menos!

as imagens fantásticas que connosco partilhas, as letras que escreves tão bem... parabéns. é um gosto renovado aqui voltar... desculpa minhas ausências :( tenho estado a ler todos os meus atrasos...

um grande abraço e o meu sorriso amigo :)
mariam

✈ĘɭĭZ∂™ τσdσs lσs Dεяεcнσs яεsεяvαdσs cσρчяιgнτ disse...

Pase a conocer tu blog, soy la persona a quien dejaste un recado... aunque no entiendo el portugues, disfruto hacer el intento por entenderlo... las imagenes? que bellas son eh? me dio curiosidad y por eso entre a leerte, como veras yo tambien tengo blog donde hablo de muchos temas y nada en concreto... solo busco profundizar en lo que siento... claro puedes ser mi amigo... un placer!