Nº de visitantes por País

free counters

16 março 2009

Caminhando em paz... eu, comigo






Excelente terapia é caminhar connosco mesmos, falando com a nossa sombra, praguejando mesmo, com o nosso lado que falhou, assim, em locais onde tudo é possível, onde em cada passada vamos descobrindo novidades. Onde, o silencio, a beleza que nos envolve, sem que se perceba a acção, acabam intermediando os nossos diferendos interiores, terminam levando ao encontro de raios de luz, de esperanças, de pistas a percorrer.

Há caminhos onde não só os passos nos levam fisicamente a deslocarnos, como é o próprio espírito que vai se alimentando de essencias tão naturais e necessrárias como a tranquilidade, a beleza, o equilibrio.

Descobrir o caminho é meio garantia de chegar. Quantos só andam, à deriva, sem saber porque estão, por onde passam e para onde vão.

Aconselho o caminho do bosque encantado... onde tudo pode acontecer, onde em cada passo e em cada olhar, a alma se alimenta, o corpo se exercita, e com algum deleite e sorrindo nos apercebemos que nunca estamos sós, que ali, estamos de mãos dadas, com muito que existe desde os primórdios para nós.

O nosso eu, companheiro, com quem podemos dialogar desde as banalidades da nova empregada do super mercado com olhar que promete delícias sem fim, à ministra da educação que tem um problema tremendo de senso, às contas que não deixam de aparecer para pagar em cada mês.

A nossa, que não é seguramente parte integrante de cada um, mas que é pertença de todos, por igual, natureza ali, que só nos quer para que encontremos nela as caricias de algo que foi feito para servir. Em plenitude, bela, com cor, com alma... a natureza fala connosco, podemos sentir o vento nos sussurando marotices ao ouvido, ver as folhas que caiem gracejando, os ramos qeue se entrecruzam em jogos de conturcionismos mirabolantes. Podemos, sentir as pedras do caminho, cheias de histórias, que assistiram tantos sonhos e enredos.

Ali, no caminho entre o bosque mágico e a floresta encantada, podemos lado a lado connosco, e de mãos dadas com os elementos, perceber, a pequenez de um arrazoado conjunto de regras de economia e de pequenos charlatães gordos de burrice, que sempre se ilusionaram crendo que dirigem o mundo.

O mundo é um caminho, busquemos serenamente com a nossa passada, dirigir-nos ao local onde podemos ser, e estar, e querer... ali, na florsta encantada, no caminho de pedra, que seguramente nos levará ao alto.

Ali.............................

Sem comentários: